domingo, 25 de março de 2018


ME QUERO


Quanta coisa cabe aqui.
Quantos sentimentos velados,
Morreram sem poder existir.

Mas o que é jazido,
Teima em insurgir.
Roubando meu ar.
Extinguindo minha sensatez.

Abotoando minha voz,
Coração palpitante de te(mor)
Também pulsa de desejo.

Permitir que me toques,
Um querer tão inoportuno
Seria como não suportar
Outro modo de viver.

[Maria Vanessa Morais]